quarta-feira, 25 de abril de 2012

Chocolate no dia 25 de Abril

Abri os olhos e a chuva caia lá fora. Tinha dormido durante longas horas, e sentia-me ainda cansada. Automaticamente, comecei a pensar em ti e logo os meus olhos se inundaram. Toda esta dor é difícil de suportar.

A vontade voltou, aquela má vontade que me alivia. Ainda peguei nela mas consegui controlar-me. O cansaço consome-me na mesma medida que o vazio. Eras pequeno mas a tua presença ocupou-me todo e qualquer pedaço do meu ser. Como é possível amar-te tanto?
Eles têm sido valiosos, e estão sempre cá. São meus amigos e ficam sempre comigo. O meu coração fica mais preenchido quando estou com eles, mas não posso ficar sempre com eles e não conseguem preencher por completo o buraco negro que decidiste deixar. Eles não são fantasmas que me assombram os sonhos e o coração, levando-me a uma escuridão que me retirou a vida, ao contrário da tua presença.

Eles estão cá, sinto-lhes o coração a bater. O teu, bate por outro alguém, ou então por mim, mas não queres que saiba, não sei se quero saber também. Espero que me dês notícias antes de partires.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Chocolate no dia 23 de Abril

"Que se passa?"

Honestamente, não sei. Não consigo descrever. Continuo a escrever-te isto, como se fossem cartas que tu nunca vais ler, cartas que não te interessam, mas que me servem de consolo. Não que te importes como me sinto, sei que não te importas, mas sinto a tua falta. Ainda procuro o teu cheiro nas minhas roupas, ainda te procuro. Por todo o lado te encontro, no entanto sem seres tu. Sinto a tua falta, espero que estejas bem, e que seja mais fácil para ti do que para mim. Vou continuar a amar-te até se esgotar.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Chocolate no dia 19 de Abril

As fotos relembram-se que foi verdade, e que nos amava-mos. Pergunto-me o que terás feito a tudo o que te dei, se terás deitado ao lixo, destruído e eliminado como fizeste comigo, ou se ainda tens tudo contigo. Choro de cada vez que me surges nos pensamentos, que é quase sempre, chorarás também quando partires? Eventualmente levar-me-ás contigo, porque uma parte de mim será sempre tua.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Chocolate no dia 18 de Abril

Os olhos pesam, o cansaço invade-me por mais que descanse. As memórias ocupam-me a cabeça. Sinto-me capaz de descrever cada momento que passei contigo detalhadamente. Sinto a tua falta, do teu cheiro.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Chocolate no dia 11 de Abril

As feridas vão sendo curadas, mas apenas as exteriores. As interiores cegam-me e destroem-me. É reconfortante saber que ainda te importas com o estado como me encontro. Embora não tenhas uma pequena noção, ninguém tem, do estado em que me encontro. Também não a vais ter, não tens o direito de ter.
Perdoa-me se alguma vez errei de alguma forma, mesmo não tendo noção disso. Tudo acaba por passar, por mais lento que possa ser o processo.
Desculpa-me.

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Chocolate no dia 9 de Abril

Sinto-me exausta e inútil. Não consegui cumprir as promessas que tinha feito não consigo ajudar os que mais amo. Não é por mal, a minha cabeça esquece-se das coisas todas, acabo por desapontar toda a gente.

sábado, 7 de abril de 2012

Chocolate no dia 7 de Abril

Estou a enlouquecer, sem utilizar qualquer metáfora ou outro recurso estilístico qualquer, no verdadeiro sentido das palavras. Estou a ser levada à loucura. Mais uma noite que não consegui dormir, mal comer consigo. Se é esse o teu objectivo, estás a conseguir. Não me alongo mais, estou vazia  como sempre, não tenho mais o que escrever.

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Chocolate no dia 6 de Abril

Sou uma burra. Nada mais que uma burra. Usaste-me e eu continuo a amar-te. Tento lutar contra tudo, mas não dá. Eu não sou uma segunda opção. Se me amas, então luta tu. Se não, então fica lá com a tua loira encantada. Pode ser que ela um dia te faça passar pelo tormento que passo todos os dias. De não conseguires dormir, de não conseguires comer , de não conseguires viver. Sim, um dia quando eu morrer, fisicamente porque psicologicamente já me mataste, espero que sintas culpa, uma culpa tão grande que te afundes na ruína.
E assim, o ódio vai tomando conta de mim, esperando eu que não reste mais do que ele por ti.
Sinto-me farta. Beijas os lábios dela, depois falas-me como se tivesse sido uma tamanha perda teres ido embora. Oh, como sou doente, a acreditar nas tuas palavras cheias de mentira. Afinal, não fui mais que as outras.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Chocolate no dia 5 de Abril

É-me impossível. Não estou sossegada quando durmo, não estou sossegada acordada. Aliás, não me sinto acordada, sinto-me morta, nada mais. Há uma semana que não o faço, já não exerce efeito nenhum, não me sinto viva de forma alguma. Tenho saudades tuas sabes? Morro de saudades... Acaba por não ser a saudade que me consome, mas a nostalgia. Pequena a diferença entre estes dois sentimentos, mas na nostalgia, as coisas não se repetem. Revivo os momentos na minha cabeça, sorri-o e choro ao mesmo tempo. Amo-te, acho que não vai mudar. Magoaste-me a um nível exageradamente grande, digno de um romance inglês do século passado. Mas somos ambos reais, ou não? Já não tenho a certeza de nada, só que te amo.
Desabafos do meu desespero abafado que gostava de te gritar aos ouvidos. 

who's visiting (:

Seguidores

Acerca de mim

A minha foto
Irónica , rancorosa,vingativa, teimosa, orgulhosa.